DESTAQUEENSINO MÉDIO

Última aula do Projeto Enem relembra o desastre de Chernobyl

Última aula do Projeto Enem relembra o desastre de Chernobyl

Na manhã desta sexta-feira (08), os professores Cristine Salvate (química), Elisney Dias (filosofia), Fábio De Campos (Física) e Miriam Marini (biologia), se reuniram na última aula do Projeto Enem, para falar sobre o maior acidente nuclear ocorrido em 1986, na antiga União Soviética.

Com o tema “Chernobyl: lições de uma tragédia”, eles apresentaram o acidente do ponto de vista biológico, filosófico, físico e químico. Os estudantes ampliaram seus conhecimentos em relação ao assunto e puderam entender melhor quais as consequências e os inúmeros impactos para o mundo.

O professor Fábio mostrou as circunstâncias em que ocorreu a explosão do reator e apresentou os 30 países mais dependentes de energia nuclear, enquanto a professora Cristine explicou o processo de decaimento radioativo e relembrou o incidente com o Césio-137 acontecido na cidade de Goiânia em 1987. Já a professora Miriam explicou de que forma acontece a precipitação radioativa e quais são as variações da fixação das substâncias liberadas no meio ambiente, além de mostrar as consequências para vida humana em decorrência da exposição à radiação.

Após a explosão do reator número 4, que aconteceu em 27 de abril de 1986, a cidade foi rapidamente evacuada por causa da contaminação que oferecia riscos à saúde da população. Não havia escolha, a radiação estava em todo lugar.

Mesmo com a tentativa do governo de impedir a volta das pessoas, algumas ainda preferiram retornar e manter as suas próprias terras. Esse foi um dos assuntos abordados na aula, a professora Cristine falou sobre as pessoas que ainda residem em Chernobyl. Já o professor Elisney apresentou aspectos sobre a responsabilidade e a ética de uma civilização tecnológica.

Para o coordenador do Ensino Médio, Thiago Cavalcanti, “as aulas interdisciplinares permitem aos alunos relacionar assuntos de diferentes matérias dentro de um mesmo tema, quebrando a visão compartimentada dos saberes”. Segundo ele, “o tema de Chernobyl foi uma aposta para o ENEM deste ano, uma vez que 2019 foi proclamado, pela ONU, como o Ano Internacional da Tabela Periódica”.

Ainda de maneira interdisciplinar, os quatro professores finalizaram a aula com uma conclusão sobre o assunto e os alunos puderam participar e tirar dúvidas. Os alunos Eric Gazzola, da 1ª série do Ensino Médio, Leonardo de Almeida, da 2ª série do Ensino Médio e Giovana Andriotti, da 3ª série do Ensino Médio, contaram o que acharam da experiência.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *